SILÊNCIO FALADO

terça-feira, novembro 15, 2011

just for christmas

posted by elisa, 11:25 < | link | 3 comments |

quinta-feira, julho 07, 2011

Do fim

Já estava agonizante há algum tempo e pede me agora que lhe dê o golpe de misericórdia.
Está dado.
posted by elisa, 17:09 < | link | 1 comments |

quinta-feira, maio 19, 2011

Das gajas

Todos temos uma gaja em nós. E quando digo todos, falo de homens e mulheres. Ser gaja para mim, resume-se ao libertar das hormonas, como diria uma colega de faculdade, e ao deixar fluir. Encontra-se na futilidade de um conversa, no riso das fofocas, na descontracção de um jantar.
Acontece que, diz o senso comum, tudo tem dois lados. E se ser gaja é coisa de que a minha sanidade mental não prescinde, também é coisa que me consegue enojar ao ponto de ter vontades de eremitismo para o resto da minha vida.
E o pior de tudo na gaja é a sua incompatibilidade com as amigas. Os encontros de gajas (ao invés dos encontros de amigas) muito pouco devem à amizade. Impera o divertimento, a leveza, e quem não alinha, é implacavelmente descartada porque as gajas não têm paciência para peripaques…. de gaja.
Assim, ainda que se seja amiga, quando a gaja baixa em nós, não há cá grandes vontades de conversas profundas. Há regras implícitas do que não se deve ou não deve falar, fazer ou não. Se não for respeitado, garanto-vos que o laço de amizade se desgasta num instante.
O que é engraçado é que, tratando-se de gajos (que sim que também os há), as gajas reescrevem as regras e esticam os limites da tolerância. Uma gaja pode dizer de um gajo que é um grande cabrão e dizê-lo aos amigos todos, nada a impedirá de reatar relações e continuar a achá-lo o máximo. Já quando uma gaja diz de outra gaja que é uma cabra e o diz aos amigos todos, a outra fica votada ao esquecimento total e os amigos nunca mais podem pronunciar o nome dela sob pena de serem intimados na hora a tomar partido (pela ofendida…qual?...) ou seguir caminho, sem nunca voltar atrás.
Já fui votada ao esquecimento, já deixei desgastar o laço mas fico sempre surpreendida com a fragilidade das relações humanas, principalmente daquelas que se rotulam: melhores amigas, melhores colegas, melhores gajas…
posted by elisa, 11:35 < | link | 0 comments |

quarta-feira, maio 04, 2011

Do direito à fantasia



Nada como um bom filme de fantasia pura para voltar à rapariga inocente que eu era e que queria ser a namorada de um super-herói.
Entretanto cresci.
E também quero ser a super heróina...posso ficar com o super herói na mesma?
posted by elisa, 12:30 < | link | 0 comments |

quarta-feira, abril 27, 2011

Constatação

Quando me farto de conduzir, não há ninguém que me leve.
posted by elisa, 16:09 < | link | 0 comments |

terça-feira, abril 05, 2011

Da clareza

Há momentos de clareza confortante que acompanham os dias de sol, momentos de certezas de que tudo é simples e caminha para onde tem de caminhar.
E é sempre aí que eu queria morar, longe da lucidez que encandeia e me congela os passos, a alma e o quanto eu gosto de mim e dos outros
posted by elisa, 17:00 < | link | 0 comments |

sexta-feira, março 25, 2011

É isso mesmo...

A despeito do que poderiam os desavisados pensarem, amor e cansaço não são incompatíveis. As pessoas cansam de amar, cansam mesmo. Cansam de amar no vácuo, no vazio, a contra-gosto, na marra, na mão única, com esforço, no amor à camiseta, cansam de amar quando amar é uma luta inglória, é uma sede saciada a conta-gotas. As pessoas cansam de nos amar apesar de nos amarem muito, as pessoas cansam de nos amar quando o amor é à custa de teimosias, defeitos, desaforos, desatenções, estupidezes, falhas de caráter, falta de tempo, descuidos, TPM, stress, chatice, drama, descaso, reclamações, egoísmo, omissões, negligências, filhadaputices, prioridades outras, grosserias, inaptidões, incapacidades, má administração, indiferença, cronograma insano, sacanagens, ingratidões, desídia, pouco caso, desconsideração, intolerância. O amor suporta muito e não espera um escambo de atenção e sentimento, mas o amor tem ida e vinda, tem mão dupla, tem uma razão outra que não é puro altruísmo e desapego. Não pense que quanto mais o outro suporta, quanto mais o outro luta, maior é o seu amor. Isso é uma sabotagem imbecil de quem não se sente merecedor ou capaz de retribuir. Pai dedicado cansa. Filho devoto cansa. Irmão parceiro cansa. Amigo de fé cansa. Até o grande amor cansa. As pessoas cansam e desamam e se perdem e vão embora e não voltam mais. Amor não é para sempre, não, não se engane. O que é para sempre é saudade. E a gente fica triste e fica infeliz e fica miserável e fica com a vida besta e vazia depois que quem nos ama desiste, a gente fica com a vida oca, fica tudo preto e branco e a gente acha que tudo bem, que vai ficar tudo bem e a gente se engana que supera, paciência, não era pra ser, não era forte o suficiente, não era verdadeiro o suficiente, mas não fica tudo bem, não supera coisa nenhuma, não era pra ser uma ova. Nananinanão, senhor. Porque a gente também cansa da tristeza e do vazio, a gente também cansa da solidão e da miséria, a gente também cansa da infelicidade, mais cedo ou mais tarde, e aí ó, babaus, já cansaram de nós. Portanto, não ponha o amor à prova. Não se proponha a testar até onde ele suporta. Amor não é gincana, não é rali, não é prova de resistência. Amor é pra amar e cuidar muito bem. Já chega o fato de que tem todo o resto do mundo para criar problema, para dar trabalho, para dificultar as coisas. Lute por e não contra. Lute muito, lute bastante. Mereça o seu amor enquanto ele ainda é seu e ainda está aqui
posted by elisa, 12:14 < | link | 0 comments |

quinta-feira, março 24, 2011

If people try to bring you down, it only means that you are above them

Não tenho vocação para capacho.
posted by elisa, 10:39 < | link | 0 comments |

segunda-feira, janeiro 31, 2011

Post Secret

posted by elisa, 14:32 < | link | 1 comments |

sexta-feira, janeiro 28, 2011

Dia 1

Já o fiz, já o consegui, basta não pensar nisso...
Olha eu a não pensar nisso..até tenho de escrever que não estou a pensar, só para me enganar melhor.
posted by elisa, 14:30 < | link | 0 comments |