SILÊNCIO FALADO

sexta-feira, outubro 29, 2004

Final de tarde

Gosto especialmente dos finais de tarde.
Quando o sol distribui uns últimos beijos às árvores, ao céu e ao mar. Quando estes beijos trazem luminosidades surrealistas e fazem esquecer as longas filas de espera.
Quando da ponte, se vêem as aves voarem rumo a um mar prateado, arauto da chuva que não tardará. Quando anoitece e a chuva finalmente cai e liquefaz as cores da noite nascendo na cidade.
Gosto especialmente dos finais de tarde, da chuva e da noite coloridas que me acompanharam ontem a casa.
posted by elisa, 09:58 < | link | 7 comments |

quarta-feira, outubro 27, 2004

O rosto

Adivinhei-lhe os anos de vida pelas linhas vincadas do rosto. Deixei-me hipnotizar pela luz acolhedora do olhar e pelo sorriso generosamente infantil.
Inclinou-a um pouco a comprida trança adolescente e disse: Dou-te a lembrança do meu rosto para que quando o tempo deixar as suas marcas vincadas na tua pele as possas aceitar como presente de um passado que não tem como ficar invisível.
posted by elisa, 11:30 < | link | 5 comments |

sexta-feira, outubro 22, 2004

Eu mulher...

"Se fores mulher..
Terás de ter bater para explicar
Que o pecado não nasceu no dia
Em que Eva colheu uma maçã:
Nesse dia ansceu uma esplêndida
Virtude chamada Desobediência"

De ???

Hoje a amizade, o riso e o divertimento marcaram encontro numa bonita praça à beira mar.
Às dez, surgirão triunfantes de juventude, resplandescentes de alegria. Agarrados às saias delas, poderão talvez não se fazer notar de imediato. Mas logo, logo a exuberância das conversas, mesmo contidas, encherá a sala e provocará os olhares ora divertidos, ora incomodados dos jantantes respeitáveis. A culpa será do vinho, a culpa será dessa qualidade cacarejante cuja exclusividade todos oferecem à Mulher. Haverá comentários, dos banais e dos maldosos, encolheres de ombros, sorrisos maldicentes, cotoveladas enciumadas mas também corações agradecidos por existir alegria e por existirem mulheres...

Enfim, a noite será leve e luminosa.
Fútil?Talvez..Mas que atire a primeira pedra quem nunca saboreou os prazeres efémeros mas intensos da futilidade.


Quando saírem do restaurante ou do bar, notar-se-ão talvez algumas das rugas nascentes de vidas preenchidas que a maquilhagem deixou de proteger. Mas o coração, este, terá ganho anos de juventude.Deixará para amanhã a profundidade angustiante da vida e dos seus cansaços.

Por isso, esta noite só vale ser-se tonta, viver no presente e rir, rir muito...

posted by elisa, 18:29 < | link | 7 comments |

quinta-feira, outubro 21, 2004

Tempo de comunicação:1 minuto e meio?

Como pode ser poética a tecnologia. Bastou-me Premir a tecla verde para atender chamada recebida para ouvir a tua voz.
Por entre palavras banais e assuntos quotidianos, falaste de um futuro inesperado que nem tu, nem eu pensámos. Talvez por isso seja o mais indicado. Porque te levará para além de planos e ideais préconcebidos, porque, finalmente, talvez eu consiga deixar a vida tomar conta de ti.
posted by elisa, 14:26 < | link | 3 comments |

terça-feira, outubro 19, 2004

Um pouco de calor...

Estive três dias abrigada em casa a observar a chuva. Ao quarto-dia, resolvi sair e enfrentá-la. Vesti o impermeável, calcei as botas ,peguei no guarda-chuva e fui à luta.
Perdi: 11 497 pingos contra uma lágrima de saudade que bastou para acordar velhos fantasmas...

Retrato Ardente

Entre os teus lábios
é que a loucura acode,
desce à garganta,
invade a água

No teu peito
é que o pólen do fogo
se junta à nascente,
alastra na sombra.

Nos teus flancos
é que a fonte começa
a ser rio de abelhas,
rumor de tigre.

Da cintura aos joelhos
é que a areia queima,
o sol é secreto,
cego o silêncio.

Deita-te comigo.
Ilumina meus vidros.
Entre lábios e lábios
toda a música é minha

Eugénio de Andrade


posted by elisa, 18:57 < | link | 3 comments |

sexta-feira, outubro 15, 2004

Parlez-moi de ces amants lá qui ont vu deux fois leur coeur s'embraser

"Ne me quittes pas"
Jacques Brel

Ne me quittes pas
Il faut oublier
Tout peut s'oublier
Qui s'enfuit déjà
Oublier le temps
Des malentendus
Et du temps perdu
A savoir comment
Oublier ces heures
Qui tuaient parfois
A coup de pourquoi
Le coeur du bonheur
Ne me quittes pas
Ne me quittes pas
Ne me quittes pas
Ne me quittes pas
Moi, je t'offrirais
Des perles de pluie
Venues de pays
Où il ne pleut pas
Je creuserais la terre
Jusqu'après ma mort
Pour couvrir ton corps
D'or et de lumière
Je ferais un domaine
Où l'amour sera roi
Où l'amour sera loi
Où tu seras reine
Ne me quittes pas
Ne me quittes pas
Ne me quittes pas
Ne me quittes pas
Ne me quittes pas
Je t'inventerais
Des mots insensés
Que tu comprendras
Je te parlerais
De ces amants là
Qui ont vu deux fois
Leurs coeurs s'embraser
Je te montrerais l'histoire de ce roi
Mort de n'avoir pas
Pu te rencontrer
Ne me quittes pas
Ne me quittes pas
Ne me quittes pas
Ne me quittes pas
On a vu souvent
Rejaillir le feu
De l'ancien volcan
Qu'on croyait trop vieux
Il est, parait-il
Des terres brûlées
Donnant plus de blé
Qu'un meilleur avril
Et quand vient le soir
Pour qu'un ciel flamboie
Le rouge et le noir
Ne s'épousent-ils pas ?
Ne me quittes pas
Ne me quittes pas
Ne me quittes pas
Ne me quittes pas
Ne me quittes pas
Je ne vais plus pleurer
Je ne vais plus parler
Je me cacherais là
A te regarder danser
Et sourire, à t'écouter
Chanter et puis rire
Laisses moi devenir
L'ombre de ton ombre
L'ombre de ta main
L'ombre de ton chien,
Mais
Ne me quittes pas
Ne me quittes pas
Ne me quittes pas
Ne me quittes pas
posted by elisa, 15:16 < | link | 6 comments |

quarta-feira, outubro 13, 2004

Amarelo

YELLOW

You are very perceptive and smart. You are clear and to the point and have a great sense of humor. You are always learning and searching for understanding.

Find out your color at Quiz Me!

Teste via o 100 tretas da AnaP
posted by elisa, 16:53 < | link | 2 comments |

De negro vestido e coração colorido.

Vejo-a todos os dias a caminho do emprego.
Anda sempre de nariz empinado, de semblante fechado. Marcha mais do que caminha, em linha recta, não se desviando nunca de quem vem no sentido oposto. Um dia distraída, quase fui contra ela e só aí, bem de repente e bem de perto, lhe consegui apanhar o brilho traquina dos olhos de um verde tão escuro que mais parecem pretos. Muitos dirão, aliás, que jamais aqueles olhos foram verdes e que sempre foram daquele negrume que fere o coração quando é para nós apontado. Talvez seja por causa disso que logo baixa o nariz empinado quando se depara com alguém. Instinctivamente, apressa o passo rápido e fixa a ponta dos sapatos.

Gosta de sapatos pretos.
De sapatos de tacão alto, sapatos de tacão baixo, bailarinas, sapatilhas, botas de tacão alto, botas de tacão baixo, sandálias e de sapatos para dançar o tango ....mas pretos sempre pretos. Tem aliás um carinho muito especial pelos seus sapatos, tábuas de salvação que a põe a salvo do confronto visual com os desconhecidos da rua.
No entanto, gosta de pessoas. Altas, baixas, de cabelo claro, de cabelo escuro, feias e bonitas..e até às cores.Mas olhar para elas.....Algumas lhe disseram que jamais os olhos dela foram verdes, que foram sempre negros e que ferem o coração.

E como gosta sobretudo de pessoas, quando marcha mais do que caminha, fixa o olhar sobre os sapatos a quem pede perdão baixinho.


posted by elisa, 15:47 < | link | 0 comments |

terça-feira, outubro 12, 2004

Coisas fáceis


Coisas fáceis, fazer um agrado
Coisas fáceis, abrir um sorriso
Coisas fáceis, estender os braços
Coisas fáceis, agir com juízo
Coisas fáceis, mostrar o caminho
Coisas muito fáceis, dizer a verdade
Coisas fáceis, cuidar com carinho
Coisas fáceis, viver com vontade

São coisas pra se fazer
sem esperar recompensas

coisas pra se querer
coisas tão simplese
tão difíceis de esquecer

Um abraço , um sorriso , um aceno, coisas fáceis

Gestos tão pequenos, coisas fáceis

Coisas fáceis, mostrar o caminho
Coisas fáceis, dizer a verdade
Coisas fáceis, cuidar com carinho
Coisas fáceis, viver com vontade


“Coisas fáceis” - Jairzinho Oliveira


As notas e as palavras vão surgindo, simples e despretenciosas. Cantaroladas calmamente. Quase sussuradas porque sabem que o sussuro é o meio mais certo de se chegar à alma e ao coração. Quando lá chegam, há um aperto, um nó na garganta, uma estranha combinação de alegria e de dor. De alegria porque reconhecemos imediatamente a mensagem da simplicidade que gera a grandeza de alma e de dor porque que nos lembramos que a esquecemos demasiadas vezes.
posted by elisa, 16:05 < | link | 4 comments |

quinta-feira, outubro 07, 2004

Só quando rio....


Um homem tem uma lança espetada no peito.
Ao lado, o amigo pergunta-lhe :
-Não te doí
O homem reponde:
-Só quando rio
* Ouvido num filme do Hollywood
Abro os olhos.Espreguiço-me. Levanto-me e tomo um banho.Visto-me.Olho para o céu.Reprimo um sorriso se estiver sol. Fecho a porta e carrego no botão.Olho para o espelho.Penteio uma madeixa teimosamente solta.Abro a porta e saio.Respiro.
Há de correr tudo bem.Penso eu.
Só não me posso rir...


posted by elisa, 15:01 < | link | 5 comments |

quarta-feira, outubro 06, 2004

Cansaço

Tenho as pernas doridas da dança esfusiante
O coração alegre das ilusões efémeras
E o cérebro cansado do trabalho repetido...
posted by elisa, 17:11 < | link | 0 comments |

segunda-feira, outubro 04, 2004

Quando o resto da vida parece não vir...

A princípio é simples anda-se sozinho
passa-se nas ruas bem devagarinho
está-se bem no silêncio e no borborinho
bebem-se as certezas num copo de vinho
vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
Pouco a pouco o passo faz-se vagabundo
dá-se a volta ao medo dá-se a volta ao mundo
diz-se do passado que está moribundo
bebe-se o alento num copo sem fundo
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
E é então que amigos nos oferecem leito
entra-se cansado e sai-se refeito
luta-se por tudo o que leva a peito
bebe-se come-se e alguém nos diz bom proveito
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
Depois vem cansaços e o corpo fraqueja
olha-se para dentro e já pouco sobeja
pede-se um descanso por curto que seja
apagam-se as dúvidas num mar de cerveja
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
Enfim duma escolha faz-se um desafio
enfrenta-se a vida de fio a pavio
navega-se sem mar sem vela ou navio
bebe-se a coragem até dum copo vazio
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
E entretanto o tempo fez cinza da brasa
outra maré cheia virá da maré vaza
nasce um novo dia e no braço outra asa
brinda-se aos amores com o vinho da casa
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

"O primeiro dia "- Sérgio Godinho



posted by elisa, 15:09 < | link | 2 comments |

sexta-feira, outubro 01, 2004

Devaneio

Fui atingida por uma preguicite aguda que me impede de continuar a trabalhar!Enfim, não é bem preguiça, é assim mais um desinteresse profundo e sem apelo causado pelas tarefas pendentes....Enfim, toda a gente sabe que sem inspiração, não há quem! Sabem, não sabem? De qualquer maneira (tiro-te daqui, daqui pr'a oitro laaaaaaado, onde possa mexer em ti - interferência do Tim na minha linha de pensamento), compenso na segunda feira: tudo há de estar mais calmo, mais silencioso, enfim o rendimento vai duplicar ou até mesmo triplicar!!
Entretanto e enquanto espero pelo milagre da multiplicação da minha capacidade de trabalho, resolvi ir dar uma volta pela blogosfera (muito mais estimulante!). Fui até blogs já descobertos, descobri mais alguns e assaltou-me uma dúvida que se transformou em devaneio! (eis a ponte -nada forçada, note-se- para o meu título...digo-o porque podia não ser assim tão óbvio, até porque os títulos me dão cabo da cabeça, nunca dizem exactamente aquilo que lhes peço - nota para mim mesma: trabalhar a comunicação com os títulos para interelações futuras mais eficazes- e..onde é que eu ia, ahh sim, fechar parêntese) ponto final parágrafo.Não, não, é melhor Rufar dos tambores.........dois pontos:
Criei o blog porque outros me inspiraram, porque fiquei verdadeiramente surpreendida, com a quantidade de coisas interessantes que se podiam dizer e que outras pessoas estavam dispostas a partilhar. Eu também quero, pensei eu, num deslubramento infantil.
Então criei o blog....E hoje queria escrever e saiu-me isto.........Que dizer mais?

Se alguém tiver tido a paciência de ler este "devaneio" (palavra bem bonita para o monte de baboseiras que acabei de escrever mas enfim, afinal os blogues também são para isso e agora vou parar de bater compulsivamente nas teclas antes que me mandem internar), que este alguém se levante e me deixe um comentário.
posted by elisa, 16:37 < | link | 3 comments |