SILÊNCIO FALADO

quinta-feira, fevereiro 17, 2005

De uma mãe para outra

GALETTE DES ROIS

Ingredientes:
- 2 blocos de massa folha de 230 g. (e estes 30 gramas que parecem a mais, são na verdade muito importantes para a espessura da massa)
- 125 g. de manteiga (amolecida para que seja mais fácil de trabalhar diz a minha mãe)
- 125 g. de açúcar
- 125 g. de amêndoa ralada
- 2 ovos
- 1 pouco de rum ou de vinho do porto (para o toque de fantasia)

Pode começar-se pelo recheio...ou por se estender a massa em dois discos de cerca de 3 mm....
Bom mas se forem gulosos como eu, atacam o recheio em primeiro...Misturar com os dedinhos a manteiga amolecida, o açúcar e a amêndoa ralada.Não parar até conseguir uma massa areada....não vale lamber os dedos..para já!!
Juntar os ovos batidos e o toque de fantasia à massa assim obtida. Misturar bem (sempre com os dedinhos)
Está o recheio pronto.

Num dos discos de massa (previamente picado com um garfo), estender o recheio, deixando uma margem de cerca de 2 cm. (muito importante a margem). Colocar o outro disco por cima do recheio e, o toque de mestre, pressione delicadamente as margens do disco para fechar a galette. Fazer um ou dois buraquinhos no disco de cima (para deixar respirar a massa).
Deixar livre curso à imaginação e desenhar bonitos motivos no topo da galette.
Pincelar com uma gema de ovo à qual se misturou um pouco de leite.

Levar ao forno quente (sim, sim pode ser 220º) durante 20 a 30 minutos: Vigiar com carinho até à massa levantar; Depois, reduzir a temperatura do forno para a Galette des Rois continuar a cozer calmamente.

A consumir com amor...

Ah!E não se esqueçam de ler as letras pequenas pois são as pequenas coisas que tornam tudo mais delicioso:)


posted by elisa, 16:10 < | link | 12 comments |

quarta-feira, fevereiro 16, 2005

Sonho

Foi do cheirinho a pão quente das tuas pequenas mãos sobre os meus olhos que veio o reconforto do tempo que se suspende.
Apareceram estrelas a piscar na escuridão da minha espera e soltaram-se risadas infantis a impregnar-me a alma de cândida felicidade.

- Adivinha quem sou!!!

Sorri e ouvi-me a dizer o teu nome...
Lançaste-te feliz para os meus braços.

- Já podes abrir os olhos

E por trás dos traços imprecisos, sei que reconheci o teu rosto...
Abri de novo os olhos e perdi-te.
posted by elisa, 16:14 < | link | 6 comments |

sexta-feira, fevereiro 04, 2005

Até breve

É para lá que regresso
Sempre que o mundo me parece grande demais
Sempre que me sinto presa às teias das solidões fabricadas.

É lá que me aninho
Nos colos de pedra, no colo que gera
O equilíbrio da vida.

Mas é sempre para cá que volto.....

posted by elisa, 10:05 < | link | 11 comments |